domingo, 28 de fevereiro de 2010

Noite Gelada


Uma noite fria que roubou o fogo do meu coração
Um vento gelado que me trouxe a solidão
Sinto-me congelado, cada vez mais proximo da escuridão
Triste, sozinho e despedaçado
Já não ouço minha respiração

O frio que me deixa gelado
Deixa meu coração sufocado
Triste, como se não houvesse mais o amanhecer

O Frio
Que me faz parecer sozinho
Um passaro longe do ninho
Que se perdeu do caminho
Que leva pro aconchego do amor

O Frio
Aquele que me faz tremer
Me faz sussurrar aos ventos
Uma louca vontade de ter

O Frio
Que traz de volta os sentimentos perdidos
Os sentimentos sentidos
Num passado que só me dava dor

O Frio
Que me deixa parado
Que me da vontade de chorar
Essa melancolia que se apossa de mim
Me congela, e me deixa mais proximo do fim
Com medo de não poder voltar

O Frio
que Leva tudo que sou
Que congela todo o meu ser
E que faz a solidão me encontar

Nessa triste noite sem luar
Percebo que congelarei meu coração
Pois o frio
Só me deixou a solidão
E quer corroer ainda mais o meu ser
Sinto que de frio
Posso morrer
Mas desejo de todo o fundo
Sobreviver

Uma noite fria que roubou o fogo do meu coração
Um vento gelado que me trouxe a solidão
Sinto-me congelado, cada vez mais proximo da escuridão
Triste, sozinho e despedaçado
Já não ouço minha respiração

"Fiz esse poema pra demostrar um pouco como me sinto en noite como a de hoje (28/02/10), uma noite fria em que a Lua não aparece e que me faz ficar melancolico
Espero que gostem


Wilton Black

3 comentários:

  1. melancólicamente perfeito, aqui também tá friozinho...

    ResponderExcluir
  2. aaai wilton! voce escreve muito bem,de verdade! posta mais :DD achei triste,mas bonito!!

    ResponderExcluir